Notícia

Ampliar fonte

Segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Entre outros assuntos, Margarida Salomão (PT-MG) falou sobre o projeto Future-se.

Na manhã desta segunda-feira, dia 26, a ADUFRGS-Sindical participou de uma reunião com a deputada federal Margarida Salomão (PT-MG), coordenadora da Frente Parlamentar Mista pela Valorização das Universidades Federais. O encontro aconteceu no gabinete do reitor da UFRGS, Rui Vicente Oppermann. A deputada mineira falou sobre o futuro da Universidade e as diferentes investidas do governo federal contra as Instituições Federais de Ensino. 

Na qualidade de ex-reitora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e ex-presidente da Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES), entre 1998 e 2006, Margarida Salomão destacou que é insustentável que fundos de investimentos possam financiar as universidades, conforme prevê o projeto Future-Se. “Como você vai sustentar um investimento que requer permanência? Não dá pra negociar o orçamento das universidades brasileiras em bolsa de valores”, questionou. O reitor da UFRGS aproveitou a oportunidade no encontro para entregar à parlamentar a moção de repúdio da Universidade ao Future-Se, retirada na última sexta-feira, dia 23, em sessão do Conselho Universitário - Consun. 

Para o presidente da ADUFRGS-Sindical, Lúcio Vieira, é urgente que sejam criadas alternativas de pressão ao governo para que os recursos contingenciados sejam liberados imediatamente.  “A continuação do trabalho da universidade e institutos federais está em risco. Precisamos que o financiamento das universidades seja restabelecido. Essa é a nossa expectativa”, afirma. Além do professor Lúcio Vieira, esteve presente na reunião o vice-presidente da ADUFRGS, Darci Campani, a deputada estadual Sofia Cavedon, pró-reitores e membros de outras entidades. 

Matérias relacionadas sobre: Educação