Notícia

Ampliar fonte

Terça-feira, 14 de maio de 2019

Cerca de 950 estudantes dos ensinos Médio e Superior ficarão sem aulas e funcionários terceirizados poderão ser dispensados.

IFRS

Desde a última sexta-feira, dia 10 de maio, o diretor-geral do Campus Canoas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Mariano Nicolao, tem reunido turmas de estudantes nos auditórios para explicar a situação orçamentária do Campus.

Apoiado em uma apresentação de slides, ele deixa claro que, caso o chamado contingenciamento de verbas por parte do Governo Federal vier a ser consolidado, a unidade fechará as portas em agosto deste ano. Isso significa que cerca de 950 estudantes dos ensinos Médio e Superior ficarão sem aulas e pelo menos uma dezena de funcionários terceirizados serão dispensados, mantendo-se apenas a segurança armada.

Ressaltando que seu discurso não é ideológico nem político-partidário, o diretor explica por que a atual situação não permite que o campus continue funcionando. Na exposição, fica claro que não haverá dinheiro pagar as contas básicas de manutenção do campus como água, luz, segurança, limpeza, entre outros. Cortes já foram feitos, como por exemplo os de cursos de capacitação de para servidores, e outros estão na iminência de ocorrer, como a suspensão da merenda escolar (obrigatória para estudantes do Ensino Médio) e interrupção no pagamento de bolsas de projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão.

_ Não há como falar outra coisa para vocês. A situação é crítica e, sim, se não houver mudança nos planos de contingenciamento, vamos fechar as portas em agosto. Vocês estão vendo aqui. Está bem claro – explicou o Mariano nesta tarde às turmas de cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, referindo-se a apresentação de slides que demonstra a situação orçamentária do Campus Canoas.

Ele também explicou, mediante questionamento, a diferença entre “corte” e “contingenciamento” de verbas. O primeiro retira o recurso definitivamente. O segundo é uma retenção de verba para liberação futura caso o Governo Federal decida que o quanto pode liberar:
_ O problema é que, se liberarem verba em setembro, por exemplo, não teremos como fazer processos licitatórios a tempo. Teremos de devolver o recurso.

O diretor ainda vai se reunir com outras turmas e pretende agendar um horário com pais de estudantes menores de idade ou de outros que quiserem participar e solicitar mais informações. O Processo Seletivo com prova em 2 de junho será realizado, embora os novos estudantes possam não poder iniciar as aulas.

Nesta quarta-feira, dia 15, as atividades letivas do estarão suspensas em atendimento às solicitações unânimes feitas em assembleias de estudantes, professores e técnicos administrativos. Uma manifestação pública está programada.

Uma caminhada reunindo estudantes, servidores e comunidade deve sair às 13h30min do campus até o Parque Getúlio Vargas (Capão do Corvo), outro local de concentração, o que deve ocorrer por volta das 14h30min. Em seguida, os manifestantes pretendem seguir até o calçadão, passando pela prefeitura. O ato público no centro de Canoas deve ocorrer a partir das 15h30min.
 
Apresentação de slides sobre orçamento do Campus Canoas do IFRS